Conheça nossos planos

» Direito Civil

Quando meu ex-marido faleceu a pensão veio pra mim e a mulher dele entrou na justiça, qual direito ela tem?

Fui casada 20 anos, e temos 4 filhos todos maiores, e a 10 anos meu marido foi morar com outra mulher, mas não estavamos separados legalmente. Ele faleceu e a pensão veio para mim, depois de 1 ano a outra mulher dele entrou na justiça querendo os direitos dela, tendo em vista a pensão e um seguro que esta para os filhos. Qual realmente é o direito dela? E vai levar muito tempo para terminar esse procedimento no tribunal? Espero ter resposta urgente. Muito obrigada.

Pergunta feita por um usuário de Blumenau/SC em 11/07/2011


Respostas

Existem duas posições jurisprudenciais (dos tribunais) acerca da divisão da pensão entre a concubina e a esposa.

1. A primeira, mais antiga, de 2009, entende que não é possível a divisão da pensão por morte entre a esposa e a concubina. Esse é o entendimento do STJ.

RECURSO ESPECIAL. PREVIDENCIÁRIO. PENSÃO POR MORTE
RATEIO  ENTRE  VIÚVA  E CONCUBINA.  SIMULTANEIDADE  DE 
RELAÇÃO  MARITAL.  UNIÃO  ESTÁVEL  NÃO  CONFIGURADA. 
IMPOSSIBILIDADE

Retirando as palavras escritas em negrito, teremos:

PENSÃO POR MORTE - RATEIO ENTRE VIÚVA E CONCUBINA - IMPOSSIBILIDADE

2. Por outro lado, a Turma Regional de Uniformização (TRU) dos Juizados Especiais Federais (JEFs) da 4ª Região (RS - SC - PR), reconheceu, em maio de 2011, o direito à metade da pensão à concubina, desde que presente alguns requisitos.

Como podes ver, existem duas posições divergentes nos nosso tribunais. Não há uma garantia. Cada caso deve ser analisado concretamente, com as suas peculiaridades e caracteristicas próprias.

Cara leitora, é complicado garantir qual posicionamente será adotado no teucaso. Porém, como o STJ proferi a última decisão, acredito que terás sucesso no teu litígio.

Aconselho-te a procurar um advogado para maiores informações.

Acesse o nosso site para nos conhecer melhor: www.prochaskalemos.jusbr.com

Atenciosamente,

Ullysses Prochaska Lemos - Advogado

OAB/SC nº 31.168

Espero ter ajudado.

 

Pergunta respondida por Ullysses Prochaska Lemos advogado de Florianópolis/SC em 13/07/2011

Comentários